5 livros jurídicos inesquecíveis

Spread the love

Se existe uma área em que as pessoas não podem se deitar em berço esplêndido, esta é o Direito! Por isso, existem excelentes livros jurídicos que ajudam os advogados a permanecerem atualizados!

A toda hora aparece uma Lei ou é estabelecida uma jurisprudência que obrigam os bons advogados a viverem em constante estudo.

Nossa legislação também não ajuda ou ajuda demais – há controvérsias -, pois é recheada de leis conflitantes, que geram as mais diferentes interpretações.

Neste artigo, entretanto, vamos lhe apresentar cinco livros jurídicos inesquecíveis e, mais à frente, outros cinco livros que todo advogado ou estudante de Direito deveriam ler. Vamos começar!

Cinco livros jurídicos inesquecíveis!

O que você entende por livros jurídicos? Livros que tratam de temas jurídicos, seria uma boa resposta! Contudo, existem pessoas que inserem livros com ‘temas’ jurídicos, neste entendimento.

Neste primeiro momento, no presente artigo, optamos por trazer livros jurídicos que tratam exclusivamente das leis e suas interpretações e comentários.

Só, na sequência, abriremos espaço para obras, tão importantes quanto, mas que não se referem diretamente às nossas leis e nosso ordenamento jurídico.

Cinco livros jurídicos inesquecíveis:

  1. Teoria Geral do Processo, de Cintra, Grinover e Dinamarco – Indicado para os iniciantes, este livro vai te proporcionar uma visão mais clara e realista dos trâmites jurídicos, além do processo judicial. O livro também apresenta a organização do judiciário, apontando as funções dos diversos tribunais superiores, além de tratar sobre o Ministério Público, advogados públicos e privados ou particulares e muito mais.
  2. Curso de Direito Constitucional, de Regina Maria Macedo Nery Ferrari – O objetivo desta obra é tratar de um modo crítico e pedagógico as mais variadas inovações no Direito nacional, listando o que de mais novo existe sobre os mais recentes posicionamentos doutrinários e jurisprudenciais.
  3. O Novo Direito Constitucional Brasileiro: Contribuições para a Construção Teórica e Pratica, de Luís Roberto Barroso – neste livro, o autor apresenta seis importantes artigos do direito constitucional do país, que tratam de diversos temas, como: a efetividade das normas constitucionais, ativismo judicial, entre outros, entre outros temas relevantes.
  4. Teoria do Ordenamento Jurídico, de Norberto Bobbio – O autor apresenta os pressupostos do ordenamento jurídico, que são: “único, coerente e completo, capaz de superar todas as antinomias e lacunas verificáveis, sem perder a autonomia”

Embora, alguns digam que este é um livro que deve ser lido como se estabelecido em um determinado contexto temporal, não sendo muito válido para a atual conjuntura política e social brasileira, é um livro que vale a pena ler! Faça suas observações e exercite seu senso crítico!

  1. Garantias Constitucionais e Segurança Jurídica, de Marcos Vinicius Furtado Coêlho – O livro trata sobre a consolidação do estado de Direito e tudo o que diz respeito aos direitos fundamentais da pessoa humana. Importantíssimo para estabelecer a importância do homem como ser central da proteção estatal e social. Livro teórico, mas prático e objetivo no estudo das garantias constitucionais.
Cinco livros que todo advogado ou estudante de Direito deveria ler

Existem livros que não são tratados ou estudos de leis e jurisprudências, mas que trazem histórias, casos de grande destaque, além de uma visão mais humana, fugindo, na maioria das vezes, da frieza da lei!

Sendo mais claro e objetivo e, sem mais delongas, vamos aos livros!

  1. The Critical Legal Studies Movement, Roberto Mangabeira Unger – Este renomado jurista e teórico carioca é um dos principais expoentes do movimento que passou a debater sobre as bases filosóficas e políticas do pensamento jurídico tradicional.
  2. O sol é para todos, de harper Lee – Leitura indicada em primeiro lugar em uma pesquisa da “Robert Half”, maior empresa de recrutamento especializado do mundo. O livro trata sobre racismo e injustiça, contando o caso de um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca, nos estados Unidos, em 1990.
  3. O Processo, de Franz Kafka – Trata sobre a injustiça de ser processado sem base jurídica alguma.
  4. A Firma, de John Grisham – Best-seller que virou filme, e que trata sobre os negócios escusos de uma grande firma de advocacia americana.
  5. A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert, de Joël Dicker – Acusado de ser um pouco clichê, o livro trata, em sua essência, da necessidade de os advogados serem questionadores, detalhistas e persistentes.
O que mais ler?

Se fôssemos enumerar grandes autores e seus maravilhosos livros jurídicos, teríamos que fazer um artigo por semana, durante alguns anos.

Mas, leiam: Memórias do Cárcere, de Graciliano ramos; 1984, de George Orwell; O primeiro ano, de Scott Turow, enfim, se banqueteiem com tudo aquilo que pode lhe trazer benefícios para sua carreira e vida pessoal.

Pois é! Livros jurídicos também podem ser uma boa leitura para leigos e para os curiosos por assuntos das leis, direitos e deveres do cidadão e do Estado! Esperamos ter ajudado!